pensamentos autistas | Autismo e Nutrição

Síndrome de Asperger – Comunicação Verbal

On 27 de setembro de 2009, in Informação, by jaqueline
{lang: 'pt-BR'}

sindrome_asperger

Relativamente ao desenvolvimento da linguagem, verifica-se que, numa grande proporção, há um atraso. Todavia, pelos cinco anos, a linguagem não apresenta, numa perspectiva formal, grandes desvios da normalidade. Pessoas com Síndrome de Asperger tipicamente tem um modo de falar altamente “pedante” ( usualmente o seu tom de voz é monocórdico), usando um registro formal muitas vezes impróprio para o contexto. Uma criança de cinco anos de idade com essa condição pode falar regularmente como se desse uma palestra universitária, especialmente quando discorrer sobre seu(s) assunto(s) de interesse.

A interpretação literal é outro traço comum, embora não universal, da Síndrome de Asperger, por exemplo, uma menina com Síndrome de Asperger um dia atendeu ao telefone e perguntaram se uma determinada pessoa se encontrava em casa, como não se encontrava na mesma divisão da criança, após olhar ao redor, ela respondeu que não e desligou. Sarcasmos, metáforas não são normalmente compreendidos. As tentativas de explicação podem não ser completamente clarificadoras, porque as perspectivas dos Aspis são muito pessoais.

Indivíduos com Síndrome de Asperger podem usar neologismos e justaposições incomuns. Isto pode tornar-se um raro dom para humor (especialmente trocadilhos, jogos de palavras, invenção de novas expressões). Uma fonte potencial de humor é a percepção eventual de que as suas interpretações literais podem ser usadas para divertir os outros. Alguns são tão apurados no domínio da língua escrita que podem ser considerados hiperléxicos (a hiperlexia e uma condição de desenvolvimento relacionada ao autismo, as principais características são: a capacidade precoce para leitura, dificuldade no processamento da linguagem oral e um comportamento social atípico).

Crianças com Síndrome de Asperger podem demonstrar aptidões avançadas demais para sua idade em relação á fala, leitura, matemática, noções de espaço ou música, às vezes no nível de “superdotados”, mas estes talentos são contrabalançados por retardamentos consideráveis no desenvolvimento de outras funções cognitivas. Outros comportamentos típicos são: repetição ou eco da fala do interlocutor e repetição de suas próprias palavras.

Estratégias sumárias para o desenvolvimento da Linguagem

Pragmática:

  • Aprender meios apropriados de iniciar uma conversa, a pedir esclarecimentos quando surgirem dúvidas, a ter confiança para dizer que não sabe
  • Ensinar a reconhecer os sinais indicativos do momento de responder,
  • interromper ou mudar de assunto
  • Modelar comentários indicadores de empatia
  • Sussurrar ao ouvido da criança o que ela devia dizer ao interlocutor
  • Recorrer a atividades de oralidade e de dramatização
  • Recorrer a exercícios do tipo “momentos do dia-a-dia” e “conversas em banda desenhada” para representação verbal dos diferentes níveis de comunicação

Interpretação literal:

  • Pensar nas possíveis formas de evitar uma interpretação inadequada de um comentário ou instrução
  • Explicar o significado de metáforas ou figuras de retórica

Verbalização de pensamentos:

  • Encorajar o sussurrar e o tentar “pensar no assunto sem falar em voz alta”
{lang: 'pt-BR'}